PORTAL UNIARAGUAIA

Atualizado em 08/09/2022


SOBRE O NÚCLEO DE EXTENSÃO, PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO (NEPPG)

O Núcleo de Extensão e Pós-graduação, doravante NEPG, foi criado em 20 de outubro de 2004, pelo ato normativo nº 006/04, com base no Regimento da UniAraguaia.
A partir de 2012, o segmento e as ações de Pesquisa foram incorporados ao Núcleo, passando a ser denominado, a partir de 16 de novembro de 2012, Núcleo de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação (NEPPG).
Desde sua origem, o NEPPG tem função integradora dentro da UniAraguaia. Esse órgão promove a oferta de cursos de pós-graduação Lato Sensu direcionados a diferentes áreas profissionais, fomentando o mercado de trabalho com a oferta de ensino de qualidade e corpo docente estruturado.

COMPETÊNCIAS DO NÚCLEO

O Núcleo de Extensão, Pesquisa e Pós-Graduação desenvolve suas atividades em harmonia com as Coordenações de Cursos. Compete ao Núcleo de Extensão, Pesquisa e Pós-graduação:

- Promover de forma integrada, as atividades de Extensão, Pesquisa e Pós-graduação na UniAraguaia, adequando seu desenvolvimento às políticas institucionais;
- Dar parecer nos processos relativos à criação e aprovação de cursos de pós-graduação e de outras atividades sob sua responsabilidade;
- Analisar propostas de cursos de extensão e pós-graduação;
- Coordenar a elaboração do calendário escolar e do horário das atividades dos cursos de pós-graduação;
- Buscar os recursos e os convênios que possibilitem a realização de projetos de pesquisas e dos projetos extensão;
- Planejar e controlar a execução dos projetos de extensão e das pesquisas;
- Apontar áreas prioritárias para a realização de cursos de extensão e pós-graduação, que sejam compatíveis com o projeto da UniAraguaia, e atenda a uma demanda de mercado;
- Exercer outras funções e encargos que por sua natureza lhe sejam afetos, por delegação da Diretoria-Geral.
PÓS-GRADUAÇÃO

Os cursos são voltados as necessidades existentes no município de Goiás e região, assim como estão relacionados às demandas internas dos cursos de graduação, dos docentes e técnicos administrativos da UniAraguaia. Em seu histórico, aponta-se a implantação do primeiro curso de pós-graduação Lato Sensu da UniAraguaia, em 2006, intitulado Educação Matemática.
Atualmente estão cadastrados no Ministério da Educação cerca de 10 cursos de pós-graduação lato sensu nas áreas de Educação, Engenharia e Meio Ambiente, Comunicação em Marketing e Gestão e Negócios.

EXTENSÃO

Do mesmo modo, o NEPPG é responsável pelas ações de atividades de Extensão da UniAraguaia. Em respeito ao Regulamento de Extensão da UniAraguaia, o Núcleo realiza o cadastro e acompanhamento das atividades de Extensão realizadas.
Consoante ao seu trabalho, o NEPPG realiza diferentes modalidades de atividades de Extensão como programas, projetos, cursos e oficinas, eventos e prestação de serviços (assessorias/consultorias). Sendo que, as práticas de Extensão realizadas pela UniAraguaia são concebidas a partir da análise das desigualdades sociais apresentadas em âmbito local e regional, portanto visa atender às demandas sociais e tornar democrático o acesso da sociedade aos conhecimentos gerados na academia.

PESQUISA

Em relação à Pesquisa, o NEPPG implementou o Programa Institucional de Iniciação Científica (PIC), que exerce importante papel na inserção do incentivo à pesquisa nos cursos de graduação da UniAraguaia.
Alunos de graduação da UniAraguaia podem participar, via edital de seleção do PIC, de projetos de pesquisas cadastrados no NEPPG, executados por Docentes do Quadro Permanente da Instituição.
A iniciação científica se enquadra como atividade complementar aos estudos dos discentes matriculados na UniAraguaia, agregando conhecimento e estreitando os laços entre a ciência e o ensino.
Atualmente a UniAraguaia possui 5 grupos de pesquisa em atividade, denominados Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental (GPEA); Grupo de estudo das metodologias ativas, imersivas e analíticas no processo de aprendizagem na área de negócios (GEMAN); Núcleo de Estudos sobre o Ensino para a Pessoa com Deficiência (INCLUI); Grupo de Estudo em Direitos Humanos e Interesses Patrimoniais nas Decisões do Supremo Tribunal Federal Brasileiro; e Direitos Humanos e Políticas Afirmativas.
Abaixo, segue um resumo dos Projetos de Pesquisa do Centro Universitário Araguaia:

1 - Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental (GPEA)

Na linha de pesquisa Engenharia e Meio Ambiente estão concentrados estudos científicos de inovação tecnológica que visam o debate sobre o meio urbano e meio rural e a sustentabilidade, construção sustentável, inovação tecnológica na engenharia, tecnologias sustentáveis e estudo da biodiversidade no Cerrado. Os estudos buscam pela transversalidade da pesquisa científica no entrelace de diferentes áreas de formação na discussão e estudos dentro da mesma linha de pesquisa.
Dentro dessa linha de pesquisa está o Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental (GPEA). O GPEA, criado em 2014, traz a transversalidade sobre estudos de Educação Ambiental ao traçar estudos com alunos de Iniciação Científica dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Ciências Biológicas, Ciências Contábeis, Engenharia Agronômica, Engenharia Ambiental e Pedagogia. O GPEA pode atuar na Linha de Pesquisa da Diversidade, Cultura e Sociedade, trazendo a valorização da cultura local, como incentivo à dança, ao teatro e a música regional, patrimônios da Sociedade
O Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental (GPEA) atualmente é coordenado pela professor Dr. Fernando Ernesto Ucker, docente titular de tempo integral no Centro Universitário Araguaia. O GPEA iniciou suas atividades em 2014 e desde então tem participado de eventos regionais e nacionais e levado seus resultados a divulgação científica, como a publicação de um capítulo de livro intitulado “Análise dos Parâmetros Educacionais do Grupo de Pesquisa em Educação Ambiental do Centro Universitário Araguaia (GPEA)” no livro Engenharias, Ciência e Tecnologia de 2020, Editora Atena.

Docentes Pesquisadores do Projeto
Ma. Ana Paula Fuzo
Dr. Fernando Ernesto Ucker (Coordenador)
Dr. Milton Silva Junior
Ma. Mariana Roldi
2 - Grupo de estudo das metodologias ativas, imersivas e analíticas no processo de aprendizagem na área de negócios (GEMAN)

O projeto aprovado está dentro da Linha Negócios e Desenvolvimento Econômico. A partir da aprovação do projeto foi criado o Grupo de Estudo das Metodologias ativas, imersivas e analíticas no processo de aprendizagem na área de negócios (GEMAN).
O GEMAN tem como objetivo analisar as metodologias ativas que estão presentes na prática docente de profissionais que atuam nos cursos da área de negócios, em Instituições públicas e privadas no Estado de Goiás e, assim, compreender como essas metodologias podem contribuir para a formação de um profissional ativo e crítico no mundo do trabalho.
Destaca-se em seus estudos a aplicação de tecnologias na educação, patamar que irá agregar valores para os docentes e discentes do grupo no entendimento da melhor gestão da sala de aula, com a aplicação das metodologias ativas no ensino superior.

Docentes Pesquisadores do Projeto
Me. Arnaldo Cardoso Freire
Ma. Isabelle Rocha Arão
Ma. Karla Kellem de Lima
Ma. Luana Machado dos Santos
Dr. Ronaldo Rosa dos Santos Junior (Coordenador)
Ma. Soraya Pedroso Coqueiro
Dra. Juliana Junqueira
Dra. Ludmila Pereira de Almeida
Ma. Márcia Pimenta Faria
Dr. Murilo Gabriel Berardo Bueno
Ma. Viviane Cristina Maia Gomes
Dra. Tatiana Carilly de Oliveira Andrade
3 - Núcleo de Estudos sobre o Ensino para a Pessoa com Deficiência (INCLUI)

A criação do INCLUI - Núcleo de Estudos sobre o Ensino para a Pessoa com Deficiência visa atender a uma necessidade social de pensar esses processos de inclusão e dar suporte para escolas e educadores nesse processo. Pretende ainda compreender aprofundada sobre a inclusão e criar estratégias práticas, a partir das reflexões teóricas sobre o fazer na inclusão.
Há diversas teorias e olhares sociais influenciados pela cultura e visão do mundo da sociedade ou do pesquisador. Não há consenso sobre as diversas síndromes e transtornos quanto a seus sintomas e tratamentos e, em alguns casos, até mesmo sobre a existência delas. Também não há consenso sobre como realizar o processo de inclusão, sobre quais técnicas e estratégias se utilizar. Essa é uma discussão ainda muito recente e pesquisadores e profissionais se encontram perdidos diante das estratégias e dos conceitos nesse processo.
O objetivo geral do INCLUI é realizar pesquisas e aprofundar no estudo do ensino a pessoa com deficiência. Além disso, pretende criar projetos de extensão, dar suporte ao trabalho da escola e do professor diante dos desafios da inclusão, criar um protocolo de atendimento a pessoa com deficiência na educação para o estado de Goiás e promover formação por meio da criação de uma pós-graduação em Educação Inclusiva.

Docentes Pesquisadores do Projeto
Ma. Ana Paula Fuzo
Ma. Geane da Silva Santos
Ma. Rita Del Bianco (Coordenadora)
Dr. Tatiana Carilly Oliveira Andrade
Dra. Tainá Dal Bosco
4 - Grupo de Estudo em Direitos Humanos e Interesses Patrimoniais nas Decisões do Supremo Tribunal Federal Brasileiro

O mais atual e importante texto de defesa dos Direitos Humanos nos nossos dias é a Declaração Universal dos Direitos Humanos aprovada em 10 de dezembro de 1948 pela recém-criada Organização das Nações Unidas – ONU. “Em 30 artigos o documento proclama os direitos e as liberdades fundamentais como o ‘ideal comum a ser atingido por todos’ (...) ‘todos nascem livres e iguais em direitos’ e ‘devem agir uns com os outros num espírito de fraternidade’”
Tendo em vista a importância que os direitos humanos e sua efetivação ganhou a partir deste novo documento, os tribunais constitucionais, especialmente do mundo ocidental, são cotidianamente provocados a se manifestar sobre o tema. Não é diferente no Brasil, onde o Supremo Tribunal Federal tem decidido questão de grande relevância social sobre temas de direitos humanos.
Objetivo do Projeto é analisar decisões judiciais do Supremo Tribunal Federal envolvendo direitos humanos e fundamentais em que havia grandes interesses patrimoniais diretamente envolvidos e outras em que estes interesses não estavam presentes com vistas a identificar uma possível afetação desses direitos, o papel da argumentação jurídica e, através deste exercício aprofundar a investigação, produção e publicação de material científico;

Docentes Pesquisadores do Projeto
Ma. Alexandre Pinheiro
Dra. Sandra Oliveira
Ma. Roberta Elaine Barros Nascimento
Ma. Thaísa Ferreira
Me. Diego Sander Freire
5 - Direitos Humanos e Políticas Afirmativas

A UniAraguaia e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas de Goiânia realizaram lançamento dos projetos sociais em prol da acessibilidade, democratização e inclusão social das pessoas do ensino superior de qualidade. A solenidade aconteceu na tarde do dia 30 de junho, quinta-feira, na sede da Associação dos Acidentados do Trabalho do Estado de Goiás (ACITEG-GO).
A parceria foi assinada em março de 2022 e visa garantir mais dignidade humana por meio da qualificação profissional e acesso ao ensino superior. Para isso, a UniAraguaia oferta no semestre 2022/02 dez (10) bolsas de iniciação científica à populações mais vulneráveis, como pessoas com deficiência, reabilitados do trabalho, LGBTQIA+, pessoas com deficiência, pretos e outras minorias sociais.
O projeto também prevê ainda um programa de estágios para estudantes da UniAraguaia realizado na ACITEG, contemplando as áreas de Direito, Fisioterapia, Psicologia e Educação Física, que visam dar atendimento à população vulnerável (LGBTQIA+, pessoas com deficiência, pretos e outras minorias sociais) nessas áreas de conhecimento e promover iniciação científica, pesquisas de graduação e pós-graduação nessas práticas realizadas. O compromisso da UniAraguaia é reforçar a luta, diariamente, pelas minorias, garantindo inclusão social.

Docentes Pesquisadores do Projeto
Dr. Célio Antônio de Paula Júnior
Me. Bruno Fernandes Borginho
Ma. Jordana Campos Martins de Oliveira
Me. Lucas Raphael Bento Da Silva
Ma. Tainá Dal Bosco Silva (Coordenadora)

Guia Acadêmico (Download PDF)
Pós-Graduação - Regimento (Download PDF)